Vende essa caneta pra mim!

Standard

Trabalhei como vendedor regional na empresa BIC, uma das marcas mais famosas de canetas estereográficas do mundo.

Alan, vende essa caneta pra mim!

Escuto frequentemente a frase acima logo depois que conto que trabalhei lá, mas sempre respondo: “Nunca vendi uma caneta, eu só batia papo!”.

O que eu quis dizer com isso?

Até algum tempo atrás, era normal vendedores tratarem seus clientes de maneira impessoal, de forma mecânica e acabavam demonstrando que aquela pessoa era mais um número em sua planilha e uma ajuda para bater as metas de vendas no final do mês.

Mas, a concorrência aumenta a cada dia e hoje é inviável esse tipo de tratamento. Com isso, o atendimento personalizado ou cliente é a maior arma que um time de vendas tem para conquistar seus consumidores e, mais do que um simples atendimento, o relacionamento de longo prazo que ali pode ser construído.

Lembro-me que eu anotava em minha planilha as ultimas conversas que tive com cada cliente, às vezes o assunto era sobre futebol, ou sobre o primeiro dia de aula do filho do cliente e mais importante disso não era o tema da conversa, mas sim o quão rápido eu voltava a ter uma conectividade mais profunda e pessoal que transcende a habitual.

Para construir uma relação com seus clientes, é fundamental saber falar na hora certa, saber o momento de ouvir e saber criar um diálogo, assim será possível entender um pouco mais das questões que o cliente quer solucionar e também você poderá perceber outras oportunidades a serem exploradas.

Vamos deixar de lado a superficialidade, nos aprofundar nos diálogos e relacionamentos para fazer vendas mais assertivas e resultados de longo prazo.

Primeiro passo

Standard

Mas um ano começando, e vejo que termino 2017 com muitos sonhos e realizações guardadas, quero dar um basta nessa minha procrastinação e preguiça de fazer as coisas, e o pior é que dou sempre a mesma desculpa: “Preciso planejar antes de qualquer coisa”.

Chega de jogar a culpa no planejamento para justificar minha inércia, a partir de hoje meu verbo principal é “fazer”, isso mesmo, muito simples né? F-A-Z-E-R.

Essa vai ser minha palavra para 2018, é importantíssimo planejar, mas se eu e você ficarmos parados nada irá acontecer! Então, vamos fazer, vamos executar, colocar em prática aquilo que queremos fazer a muito tempo e não fazemos devido as desculpas da vida e do dia-a-dia.

E o meu primeiro passo aqui é voltar com meu blog que ficou tanto tempo parado, quero escrever no mínimo um texto por semana que contribua ou ajude a vida de alguém.

E você? Vai ficar parado? Vai deixar pra segunda? Próximo mês ou ano? Para de enganar a si mesmo… Bora FAZER!!!

F – A – Z – E – R